BLOG
FIQUE POR DENTRO!

DE ONDE VEIO ESSA TAL DE “BLACK FRIDAY”?

DE ONDE VEIO ESSA TAL DE "BLACK FRIDAY"?
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

De onde veio essa tal de Black Friday?

 

Recentemente, aqui no Brasil, ficamos conhecendo mais uma data de compras no fim de ano: a Black Friday (“Sexta Negra”, numa tradução livre), onde lojas em todo o mundo oferecem descontos para os consumidores.

Acostumados com termos em inglês compondo nosso vocabulário cada vez mais, porém, poucas vezes nos perguntamos: de onde isso veio? Neste artigo, iremos à fundo na história por trás da Black Friday – e descobrir que a origem por trás do termo é mais sombria do que o festival de compras sugere. Here we go!  

É sombrio, mas sem exagero

Quando a data tomou corpo e se consolidou, por volta de 2013, a internet mostrou uma história um tanto perturbadora para a origem do nome “Black Friday”. Ela dizia que durante o século 19, os donos de plantações do Sul dos Estados Unidos podiam comprar escravos com descontos no dia após a Ação de Graças, quando a Black Friday é celebrada. Naturalmente, os escravos seriam pessoas negras.

Porém, esta versão foi desmentida por volta de 2015 após realizarem uma checagem de fatos. Era só a internet querendo provocar. É como diz um meme recorrente dos Estados Unidos também – “por que alguém entraria na Internet só pra contar mentiras?” (precisa de motivo?)

Ouro de tolo

O primeiro registro de uso do termo “Black Friday”, porém, de fato remonta ao século 19. Em 24 de setembro de 1869, houve um “crash” do mercado de ouro nos EUA. Dois financiadores de Wall Street, que não mediam atos para ganhar dinheiro, juntaram-se para comprar o máximo de ouro que pudessem, para o preço disparar e eles poderem vendê-lo para obter lucros incríveis.

O único problema foi que nessa sexta-feira descobriram o plano dos dois. O mercado de ações veio abaixo, e uma galera toda decretou falência por conta da conspiração, daí explicando o termo.

Os policiais e o uso contemporâneo

Conforme comentamos, a origem do uso atual do termo é meio sombria. Na década de 1950, os policiais da Filadélfia começaram a utilizá-lo para falar da confusão que ocorria após o Dia de Ação de Graças. Na Filadélfia, era comum haver um jogo de futebol americano entre a Marinha e o Exército nesse dia todos os anos. Daí, junta-se que já era um feriado tradicional, o que faria com que houvesse mais turistas e mais gente nas ruas. Soma-se mais um evento como esse, e o caos está armado.

Além disso, os policiais não podiam pedir folga no dia, além de precisarem trabalhar turnos muito mais longos do que o normal. E é claro que havia um aumento dos casos de roubo, com os criminosos se aproveitando da confusão.

Black? Vai de Big…

Por volta de 1961, “Black Friday” já era um termo comum na Filadélfia. Os vendedores da cidade, sabendo que a coisa não pegava bem, tentaram renomear a ocasião de “Big Friday” (Sextona, numa tradução livre). Era para tentar focar mais no lado positivo, e menos nas muvucas de multidões e flagrantes de prisão. Não deu muito certo, até porque, se tivesse, este artigo seria sobre a “Big Friday”, não é mesmo?

A tinta tirou o termo da forca

Mas os vendedores, espertos que só, acabaram tendo uma ideia que “redimiu” o nome Black Friday. Nos EUA, é comum dizer “fechamos [o mês] no preto” para significar algo bom. Quando dizem “fechamos no vermelho”, quer dizer que o negócio deu errado, já que prejuízos são marcados com caneta vermelha. Logo, se você “fecha no vermelho”, fechou com mais prejuízo do que lucro. Se você “fecha no preto”, usando caneta preta, fechou com lucro.

Usando esse raciocínio, explicaram que Black Friday se referia a isso. Logo, venderam a ideia de que é o primeiro mês no ano onde vendedores, enfim, começam a ver lucro e não só prejuízo. Com as vendas aumentando bastante na década de 1990, lojas começaram a abrir à meia noite da sexta, e pessoas começaram até a acampar fora delas. A Black Friday como, a gente a conhece hoje em dia, foi consolidada.

As Black Fridays 2.0

Como para tudo que é bom a gente pede bis, a Black Friday acabou tendo mais “derivados”. A Cyber Monday (Segunda Cibernética) nasceu quando, na década de 2000, vendedores perceberam que muitas pessoas compravam online após a semana da Black Friday.

Vendo que era uma oportunidade de manterem os lucros dela, resolveram capitalizar nisso. Em 2010, percebendo que o fim de semana inteiro trazia mais oportunidades, a American Express resolveu criar o “Small Business Saturday” dando anúncios grátis para pequenos negócios. Em 2015, as vendas do dia acabaram então ganhando até da própria Black Friday.

No Reino Unido, Canadá, Austrália, e alguns outros países, também há o Boxing Day (Dia do Caixote, em tradução livre), o 1º dia depois do Natal (dia 26 de Dezembro), onde as lojas oferecem vários descontos para atrair os clientes, sendo meio que uma Black Friday de Natal.

Vocabulário

Para encerrar, que tal vermos um vocabulário sobre compras?

InglêsPortuguês
BuyComprar
SellVender
SalePromoção
Trade / ExchangeTrocar
ReturnDevolver
Guarantee/WarrantyGarantia
CheapBarato
CashDinheiro Vivo
StockEstoque
Sold-OutEsgotado
InterestJuros

Quer aprender mais? Então venha empoderar o seu inglês na Beils!

Conecte-se com a gente!

 

 

 

Você sabe qual o seu nível de inglês?

Venha testar o seu nível

de inglês

Nas habilidades seguintes:

Gramática e vocabulário

Compreensão de textos

Compreensão auditiva