BLOG
FIQUE POR DENTRO!

VOCÊ TEM 16 ANOS? INGLÊS É FUNDAMENTAL PARA VOCÊ

VOCÊ TEM 16 ANOS? INGLÊS É FUNDAMENTAL PARA VOCÊ
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Você já tem 16 anos? Inglês é fundamental para você!

 

Há muitos motivos para falar inglês, mas, se você é um jovem brasileiro, você tem uma razão que vem se destacando no Brasil atual: o primeiro emprego está cada vez mais complicado de conseguir. Neste texto, vamos falar sobre como você pode facilitar a aquisição da língua inglesa e estar mais bem posicionado no mercado de trabalho.

O primeiro emprego

Emprego, de modo geral, tem sido um tema difícil para os brasileiros. São Paulo, único estado que teve uma pequena melhora no índice de desemprego no segundo semestre, ainda registra 12% de desemprego, acompanhando a média nacional.

Entre os jovens, a situação é ainda mais delicada. Segundo reportagem da Folha de São Paulo, “a taxa de desocupação mais alta continua sendo na população jovem, principalmente entre os que estão de 14 a 17 anos, com 40,6%. Para os jovens de 18 a 24 anos, esse número alcançou 25,7% no terceiro trimestre do ano.”

A pouca experiência profissional, alinhada à menor disponibilidade de horários de trabalho por causa dos estudos, torna o primeiro emprego mais demorado para chegar. Além disso, os números da reportagem citada apontam que é o mercado informal que tem empregado mais pessoas. Isso significa que a mão-de-obra especializada, a exemplo de estudantes universitários que começam a atuar em seus ramos, está ainda mais ameaçada.

A lição que se aprende disso é que a competitividade cresce, tornando os diferenciais dos candidatos um fator de peso crescente na disputa por uma boa vaga. A questão, entretanto, é que a língua inglesa tem sido considerada tão fundamental que já não é mais considerada diferencial, mas requisito obrigatório.

Para não ser empurrado para a informalidade e conseguir um emprego ou estágio que permita a conciliação com os estudos, não há como ignorar o inglês. Atrasar a aquisição dessa habilidade vital pode acabar dificultando a sua entrada na fase adulta.

É preciso, contudo, saber aprender.

Os primeiros passos para um bom inglês

As chances de que você consiga se desenrolar com alguma eficiência em inglês são consideravelmente altas: você é jovem, com acesso a produtos culturais diversos, está estudando por boas notas e por uma vaga na universidade… De fato, há tanta coisa disputando a sua atenção que fica difícil estabelecer metas. Mas o inglês já não é mais um adendo à sua educação; é um pré-requisito do mercado de trabalho especializado.

Quando as pessoas entendem isso, o foco costuma ficar mais sério sobre a língua inglesa. Mas uma língua é um mundo todo e pode parecer grande demais para ser conciliada com os estudos. Por isso, é importante seguir alguns passos:

  • Metas atingíveis: o nível de fluência em um idioma estrangeiro é medido por níveis (de A1 a C2). Cada nível tem sua parcela da gramática e exige um certo domínio do vocabulário, de comunicação e entendimento. Se o seu nível for algo como B2 no momento em que você começar a procurar uma vaga de trabalho ou estágio, já estará mais bem posicionado.
  • Hábito e pesquisa inteligente: todo estudante precisa ser fluente em outra atividade: a de pesquisar. Por exemplo, todo mundo aprende sobre Charles Darwin na escola. Se você se interessa pelo assunto, você pode ver um vídeo (e ligar as legendas em inglês) sobre o cientista ou ver um representação visual da evolução do homo sapiens. Aprender inglês não precisa ser dissociado de outros estudos. Pesquisar em inglês é um hábito inteligente.
  • Praticando: se os seus amigos não se interessam, não tem problema. Há uma série de grupos que se encontram presencialmente ou online para falar em inglês – sobre qualquer coisa. A vida social é importante e não é saudável sacrificá-la por causa de tantos compromissos. Mas se der para conciliar um bom aprendizado com fazer novos amigos, por que não?
  • Uma boa escola de inglês para o seu perfil: a maioria das escolas tradicionais de inglês tem formatos rígidos, mensalidades altas, materiais caros e horários fixos. E vamos combinar que ser estudante já envolve todos esses elementos sem nem precisar da escola de inglês. Uma escola interessante é, portanto, aquela que oferece uma solução para essas questões, em vez de mais problemas. Um professor particular pode ajudar. Um material didático interativo para você usar no seu tempo livre também. Assim como horários flexíveis e mensalidades leves. É só pesquisar bem.

Neste último item, gostaríamos de chamar a sua atenção para a Beils – simplesmente porque a escola tem todos os elementos citados acima por uma mensalidade muito baixa. Aulas particulares, em grupo, material digital e horários flexíveis permitem que você se desenvolva de forma independente (sem ficar amarrado a um grupo específico). Isso é uma grande vantagem extra para um estudante.

Conclusão

Certo está que as coisas não estão fáceis para os jovens. E não há uma previsão de melhora considerável em pouco tempo, por isso você precisa arregaçar as mangas. E de um jeito inteligente para poupar dinheiro, esforços e continuar tendo o merecido tempo do descanso e da diversão. É possível, acredite!

Vem conhecer a Beils que a gente te conta como empoderar o seu inglês!

Você sabe qual o seu nível de inglês?

Venha testar o seu nível

de inglês

Nas habilidades seguintes:

Gramática e vocabulário

Compreensão de textos

Compreensão auditiva